Todo investidor quer maximizar os lucros e fazer investimentos corretamente, entretanto o mercado traz alguns riscos a serem assumidos. Afinal, são várias as opções e cada uma varia bastante em relação à lucratividade e à segurança. Por isso, é essencial compreender o seu perfil e expectativa de retorno.

Nesse contexto, aprender como diversificar os investimentos é extremamente favorável. Se você está procurando alternativas para começar a investir, continue a leitura! Neste post, detalhamos algumas possibilidades. Confira!

Ações

As ações permitem que você possua uma parte de uma empresa pública. Os proprietários vendem o controle dessa instituição aos acionistas para obter fundos adicionais a fim de garantir o crescimento do negócio. Isso é chamado de Oferta Pública Inicial (OPI). Após isso, os acionistas podem revender seus papéis no mercado de ações.

Os preços são impulsionados pelas expectativas de lucros corporativos. Se os comerciantes acharem que os lucros da empresa estão altos, ou que vão subir ainda mais, eles aumentam o valor das ações.

Uma maneira de os acionistas obterem maiores lucros em seus investimentos é quando compram uma ação baixa e a vendem em alta. Porém, existe o risco de a empresa não se sair bem e, consequentemente, os valores caírem. Nesse cenário, os acionistas perderão parte ou mesmo todo o investimento quando negociarem suas ações.

Uma segunda maneira que o acionista ganha com seu investimento é por meio de dividendos. Eles são geralmente pagamentos trimestrais distribuídos aos acionistas em uma base por ação. O conselho de administração da instituição paga dividendos de ganhos.

Trata-se, portanto, de uma maneira de recompensar os acionistas pelo investimento realizado. Esse tipo de pagamento é especialmente importante para empresas que são lucrativas, mas podem não estar em rápida ascensão no mercado.

Por essas razões, o investimento de ações é considerado de alto risco, visto que depende diretamente da saúde da empresa. Então, o investidor precisa realmente conhecer profundamente os conceitos de economia, além do mercado em que está entrando. Caso contrário, dificilmente saberá se os números representam uma boa expectativa para o futuro.

Ainda é possível contratar bancos ou corretores de ações para administrar esse investimento. Com isso, a responsabilidade por decifrar o mercado fica por conta de um corretor ou gerente. Entretanto, essa contratação pode reduzir a taxa de lucro, pois além do pagamento por taxas de administração, o valor final é dividido com entre o investidor e o banco ou corretora.

Fundos de investimento

O fundo de investimento possibilita que um grupo de indivíduos ou de empresas realizem investimentos juntos. Ao agrupar seu capital, eles podem dividir os custos e beneficiarem das vantagens de investir quantias maiores, incluindo a possibilidade de obter uma diversificação mais ampla entre vários ativos e, assim, distribuir seus riscos.

Existem muitos arranjos possíveis na forma como um fundo de investimento pode ser configurado e operado, geralmente dependendo das necessidades. O fundo de investimento, por exemplo, pode ser aberto por um grupo de amigos ou, então, ser anônimo, quando os membros não se conhecem e nem podem saber o nome um do outro.

Além disso, eles podem ser predefinidos, o que significa que as escolhas de investimento serão feitas pela instituição financeira que os disponibiliza. Também, não há regras: o fundo pode ser composto por investimentos em renda fixa, variável ou ambas.

Os fundos podem ser inicialmente configurados com uma duração indefinida ou por um período fixo. Eles podem deter ativos financeiros tradicionais, como ações e títulos, ou exóticos como vinhos vintage, pinturas ou direitos autorais. Portanto, os riscos e a lucratividade dependerão da sua composição.

Renda fixa

A renda fixa é uma classe de ativos defensiva que pode desempenhar um papel importante em uma carteira de investimentos bem diversificada. Geralmente, é considerado um risco menor do que as ações e fornece pagamentos de juros regulares, que podem ser uma maneira ideal de produzir uma fonte estável de renda.

Investimentos de renda fixa podem ser atraentes para investidores avessos ao risco, como aqueles que estão se aposentando. Uma carteira diversificada de títulos de renda fixa tende a ser muito menos volátil do que uma carteira de ações, o que significa que é menos provável que incorra em grandes perdas em um curto período de tempo.

Como dissemos, não há somente um tipo de investimento de renda fixa. Por isso, vamos citar os três mais importantes:

Poupança

A poupança é uma conta criada em um banco, em que o depositante não tem nenhuma obrigação de quantia fixa a cada período. Sendo assim, é possível depositar sempre que tiver um dinheiro sobrando. Normalmente não são cobradas taxas, mas o retorno é bem menor. Os bancos mantêm a poupança para obter mais capital a fim de realizar empréstimos.

Papéis do tesouro

O Governo também precisa de dinheiro e uma forma de obterem empréstimo é vendendo papéis do tesouro. O investidor compra uma parcela da dívida do Estado, que poderá usar o dinheiro para investimentos públicos ou, até mesmo, pagar a própria dívida com outros países.

Como contrapartida, é paga uma taxa de juros praticamente fixa, que costuma ser maior do que a da poupança. O maior problema é que são cobradas taxas de administração, que podem afastar quem tem menos capital.

CDB

É uma espécie de poupança, porém mais lucrativa. A diferença é que, nela, você tem de deixar uma quantidade de capital inicial e, dependendo da instituição, se comprometer com depósitos periódicos. Além disso, o dinheiro só pode ser sacado após findado o prazo em contrato, caso contrário haverá o pagamento de multas.

Além desses que citamos, outros exemplos de renda fixa são a aposentadoria privada, os consórcios de casas e carros, os títulos de capitalização etc.

Investir em um negócio

Abrir um negócio próprio é uma alternativa de investir e gerar lucros. Para tanto, é preciso encontrar um mercado que irá satisfazer os seus ideias e no qual você queira atuar. Empreender demanda tempo e disposição, mas garante benefícios como organizar uma instituição à seu gosto e ser o seu próprio chefe.

Para obter bons resultados, é importante focar na satisfação do cliente, oferecendo atendimento diferenciado. Além disso, para destacar-se da concorrência, o empresário precisa fazer um estudo do mercado e conhecer as tendências do negócio.

Atualmente, a tecnologia pode auxiliar e tornar a gestão mais dinâmica e eficiente. Por isso, é preciso investir em softwares e empresas que possuam conhecimento na área. Sistemas de gestão empresarial, por exemplo, ajudam a acompanhar em tempo real as vendas, o estoque, o fluxo de caixa, etc.

Como você deve ter percebido, saber como diversificar os investimentos para aumentar os lucros é uma questão de conhecer bem as características de cada um, além da situação do mercado. Além disso, é importante que você saiba o seu perfil de investidor, pois, se você for mais conservador, o medo de perder o capital em investimentos de renda variável pode lhe deixar muito estressado. Por outro lado, se você for mais aventureiro, lucros pequenos não te motivarão.

E aí, quer continuar aprendendo mais e mais sobre o mundo dos investimentos? Não deixe de seguir nossa página no Facebook.