O mercado de sorvetes no Brasil vive um momento de franca expansão.

Depois de alguns anos enfrentando altos e baixos — assim como vários outros segmentos —, o setor demonstra que voltou com tudo e já pode ser considerado um dos mais atraentes para os empresários que procuram um mercado estável em que confiar seu investimento.

A sensível recuperação dos números se deve, sobretudo, à variedade de produtos anunciados ano a ano.

Temos as deliciosas paletas mexicanas e agora, vivemos o ápice dos tradicionais Gelatos Artesanais e das Franquias de Açaí, espalhadas pelas esquinas de toda cidade brasileira.

O cenário mostra que quem resolve ingressar no mercado de sorvetes no Brasil precisa ir além do convencional, estar de olho nas tendências e, claro, sair da zona de conforto para sobressair nesse ramo tão criativo.

E é justamente isso que vamos abordar no post de hoje. Continue a leitura para ter uma visão 360º do que é novidade no mercado de sorvetes, entender seus desafios e o que se espera para os próximos anos. Vamos lá?

Um breve panorama do mercado de sorvetes no Brasil

Basta passear a pé pelas ruas e avenidas das cidades em diversas regiões do país para perceber a quantidade de Sorveterias, Gelaterias e Franquias de Açaí de portas abertas. Aos finais de semana, é provável que uma fila de pessoas esteja tomando conta da entrada desses estabelecimentos para garantir o seu produto.

Como um país tropical que somos e amantes da iguaria gelada, em 2016, o brasileiro consumiu mais de 1 bilhão de litros de sorvete — a média é de 4,86 litros por pessoa —, o que resultou em cerca de 12 bilhões de reais em faturamento na “conta” de todo o setor, conforme levantamento feito pela Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (ABIS).

Em termos mundiais, o Brasil fica bem colocado em relação a outros países tanto no consumo (11º lugar) quanto na produção (10º lugar) de sorvetes.

Com mais de oito mil empresas presentes no mercado, centenas de novas fábricas de sorvetes despontam para “surfar” na maré de crescimento e estabilidade que os números têm demonstrado. A maioria delas pertence aos micro e pequenos empreendedores, que buscam se capacitar e investir em equipamentos para que, em curto prazo, comecem a ter retorno sobre o investimento realizado com a qualidade esperada por seus clientes.

No seguinte tópico, vamos entender de que forma o conceito de qualidade também tem passado por transformações nesse ramo.

O “boom” das paletas e a exigência por mais qualidade

Existe uma diferenciação muito grande entre os mercados de picolé e de sorvete, apesar de a maioria dos sorveteiros fabricarem os dois produtos. Porém, não dá para pensar em um sem o outro, certo?

Diante desse cenário, a explosão de paleterias mexicanas país afora foi a responsável por transformar os dois mercados no quesito qualidade.

Depois de experimentarem picolés mais macios, recheados e mais “encorpados”, os consumidores ficaram exigentes com os próprios picolés tradicionais, pois o padrão de qualidade certamente chegou a um patamar mais elevado a partir desse período.

Essa maior exigência dos consumidores de sorvetes é, na verdade, uma grande oportunidade para os empreendedores do setor. Afinal, se há desejo por maior qualidade, é porque existe gente à beça interessada pelos produtos e dispostas a pagar por eles, não é mesmo?

Vantagens e desafios para quem quer abrir um negócio no setor de sorvetes

A tendência do mercado de sorvetes é a especialização dos sorveteiros em alguns nichos, que são altamente lucrativos. Alguns produtores deixam de partir para uma produção em larga escala, de pouca diversificação e baixo valor agregado, e investem em uma produção de pequena escala, mais bem segmentada, de maior diversificação e, por consequência, com maior valor agregado, o que reflete também no valor comercializado.

Como vimos, o que não falta nesse ramo é variedade e público-alvo para explorar. Para se ter uma ideia, enquanto alguns produtores preferem fabricar os sorvetes mais elaborados, os gourmets, outros podem apostar em uma linha mais tradicional — os sorvetes “raiz”, como os de flocos, chocolate e as casquinhas, que ainda colecionam muitos adeptos.

Outra opção são os Gelatos Artesanais, que vieram para ficar, assim como o Açaí Cremoso, fruta amazônica que conquistou o paladar dos brasileiros como uma opção nutritiva e saborosa.

Aproveitando o nicho saudável e consciente, há também os sorvetes veganos, fitness e, ainda, os preparados especialmente para os animais de estimação, como petiscos gelados e picolés, além de outras gostosuras “proibidas” para humanos. Os empreendedores que embarcaram no setor de sorvetes para pets têm como maior desafio a qualidade de vida dos bichinhos e o cuidado de atender às normas veterinárias.

E desafio é o que não falta para o setor de sorvetes. Afinal, essa segmentação requer dos sorveteiros disposição para aprender sobre o novo “universo” do negócio e investimento em qualificação — fator quase obrigatório em qualquer tipo de empreendimento que se queira explorar com competência.

Contrariando a ideia de que o consumo de sorvetes e picolés é categoricamente sazonal, os números expressam que os brasileiros estão, cada vez mais, buscando gelaterias e os quiosques de açaí não somente na época de temperaturas mais altas. Mais um ponto positivo para o mercado, que quebra paradigmas novamente quando transcende o rótulo de mera sobremesa para ser considerado, antes de mais nada, um alimento saudável e nutritivo — o que também contribui para o impulsionamento de suas vendas durante o ano inteiro.

Por esses motivos, aos empreendedores que veem nesse setor um horizonte de possibilidades, é imprescindível realizar uma pesquisa de mercado aprofundada, a fim de estudar as melhores estratégias e, sobretudo, desenvolver a criatividade para fabricar modelos inovadores de sorvete, que, quem sabe, podem se tornar a nova “febre” dos próximos anos.

Perspectivas do mercado para os próximos anos

Segundo uma pesquisa realizada pela Mintel, empresa de inteligência de mercado, o ramo de sorvetes tem tudo para chegar a 2020 com expansão de até 80%.

Em meio à visível ampliação e à crescente demanda, já despontam no mercado empresas especializadas em capacitação de futuros sorveteiros, para que eles possam se destacar frente à concorrência acirrada e, sobretudo, se preparar para entregar produtos de alta qualidade.

Portanto, a expectativa do mercado para a venda de sorvete nos próximos anos é de aumento da demanda, devido ao fato de o setor estar cada vez mais separado por nichos, com públicos bastante segmentados.

Se você gostou de entender um pouco sobre o mercado de sorvetes no Brasil e quer saber o que fazer para também começar a lucrar nesse ramo, entre em contato com a gente, da Finamac. Teremos o maior prazer em ajudá-lo!

Powered by Rock Convert