Aqueles que percebem em si a chama do empreendedorismo certamente encontram no mercado de alimentação um ramo em crescimento, com uma vasta gama de possibilidades de atuação e público-alvo ávido por novidades.

Uma das formas de entrar nesse meio com alta lucratividade e investimento inicial relativamente baixo é fabricar picolé.

Se você está considerando seriamente a oportunidade de tomar as rédeas do seu sucesso profissional e embarcar em uma jornada empreendedora no ramo de sorvetes e picolés, é hora de conhecer esse mercado com maiores detalhes.

Acompanhe-nos ao longo deste material e entenda a fundo o mercado de picolés e todos os pormenores da fabricação de uma das sobremesas favoritas dos brasileiros. Confira!

Conheça o mercado de fabricação de picolé

O mercado de consumo de sorvetes e picolés no Brasil é um dos mais agitados do mundo. De fato, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (Abis), o país ocupa a 10ª posição mundial na fabricação do produto e o 11° lugar em consumo, com destaque para os estados da região Nordeste.

Ainda de acordo com a associação, a produção nacional saltou de 686 milhões de litros em 2003 para mais de um bilhão em 2016, chamando a atenção para o ano de 2014, que atingiu a marca de 1,3 bilhão de litros produzidos.

Apesar de haver players de grande porte no cenário nacional, o pequeno e médio empreendedor possui a vantagem de conseguir se adaptar com maior agilidade às oscilações do mercado, oferecendo novidades e ajustando sua oferta aos desejos da clientela.

No Brasil, as variações mais populares de sorvete são o sorvete tipo massa (aquele vendido em potes em supermercados, farmácias e lojas de conveniência), os picolés e o sorvete do tipo soft, muito encontrado em shopping centers.

Entenda como funciona o processo para fabricar picolé

O processo para fabricar picolé é, em si, bastante simples. Entretanto, é preciso estar atento aos detalhes para garantir não só a qualidade excepcional dos produtos, como também a segurança dos alimentos oferecidos.

Confira abaixo as dicas que preparamos para ajudar você a fabricar essa deliciosa sobremesa com todos os parâmetros de qualidade!

Atente para a água

Embora pareça um ingrediente simples, a água desempenha um papel fundamental na qualidade final do seu picolé, tanto em termos de sabor quanto de higiene, chegando mesmo a influenciar a velocidade de produção.

Utilize sempre água filtrada e o mais pura possível, para que elementos como cloro, flúor e minerais não afetem o sabor dos picolés. Além disso, é importante que você respeite a temperatura especificada pelo fabricante do equipamento quanto a temperatura da calda usada para fazer os picolés.

Não esqueça da higiene

Por falar em higiene, garantir a pureza da água não é suficiente: é preciso que você escolha máquinas que possam ser facilmente desmontadas e higienizadas, sem arestas quadradas, por exemplo.

Observe também os materiais que entram em contato direto com seus picolés: não é todo tipo de aço que pode ser utilizado para a produção de alimentos, nem todos os estilos de plástico.

Tenha uma estrutura adequada

Independentemente de a sua produção ter um perfil mais industrial ou caseiro, é importante reservar uma área adequada para a produção e armazenamento dos produtos e insumos.

Organize sua área de trabalho de modo a reservar espaços para o recebimento de matérias primas, produção, armazenamento de embalagens e dos produtos acabados. É relevante também que haja espaço para que os equipamentos possam ser deslocados, tanto para higienização quanto para manutenção.

Ventilação e iluminação, de preferência naturais, são fundamentais. Não esqueça de que paredes e tetos devem ser forrados por materiais resistentes e com boa capacidade de lavagem, como cimento, cerâmica ou PVC (no caso do teto).

Leve em conta a manutenção

Um erro bastante comum entre pessoas que estão começando a fabricar picolé é escolher o equipamento levando em conta apenas o preço de compra, sem colocar na ponta do lápis os custos pertinentes a manutenção.

Se o seu aparelho for projetado com peças e componentes modulares e recicláveis, de fácil substituição, os custos de manutenção cairão bastante quando comparados a máquinas com peças adaptadas e proprietárias, que sujeitarão você a serviços especializados.

Saiba quais são as máquinas necessárias

Como ocorre em outros segmentos, o maquinário necessário é determinado, obviamente, pela produção desejada. Se você deseja produzir para uma linha de distribuição ou para duas ou mais lojas, precisa de uma capacidade de produção maior.

Caso o plano de negócios inclua apenas um ponto de venda de produtos artesanais, o maquinário requerido passa a ser bem mais enxuto.

Uma boa opção para o empreendedor iniciante nesse mercado é o Kit 200, que conta com:

  • liquidificador/Emulsor Mixer 15, com capacidade de oito litros por batimento;
  • produtora de picolés Turbo 8, que produz picolés a base de água ou leite e ocupa 40% menos espaço que os equipamentos convencionais equivalentes;
  • desenformador com Banho Maria para caldas, que pode ser usado para desenformar os picolés rapidamente ou para derreter chocolate para fabricação de paletas banhadas;
  • seladora de embalagens para picolés, com barramento de metal e capacidade para 20 cm de selagem.

Esse kit permite a fabricação de 200 a 250 picolés por hora, mas, se você quiser conhecer outros equipamentos, pode conferir nosso catálogo com opções para os mais diversos tipos de produção.

Veja o que a Finamac pode fazer por você

A Finamac é uma das empresas de maior peso no mercado de máquinas e equipamentos para sorvetes, picolés e chocolates. Além de trazermos o melhor da tecnologia do setor para você, também oferecemos uma ampla gama de cursos e consultorias para ajudá-lo a tirar o sonho empreendedor do papel.

Como você viu, fabricar picolé pode ser uma forma simples e bastante lucrativa de realizar o sonho de ser dono do próprio negócio com pouco investimento e atuando em um dos mercados mais lucrativos do país.

E se você quer saber mais sobre como abrir seu negócio de picolés, quais as máquinas que melhor se adaptam e o que é preciso fazer para começar a vender, entre em contato conosco!